15 junho 2007

MENDES FAZ TRÉGUAS

« Mendes faz tréguas » é o título de caixa alta da 1ª página do Diário de Notícias de hoje 14.06.2007, noticiando ainda que « O lider do PSD vai garantir nas jornadas parlamentares do Partido Popular Europeu (PPE) nos Açores que o seu partido será solidário com o Governo de José Sócrates no que toca à presidência portuguesa da União Europeia » .
Isto acontece no mesmo dia em que o Conselho de Ministros aprova um novo sistema de vínculos , carreiras e remunerações na função pública que transforma o regime de nomeação definitiva de 80% dos funcionários públicos em contrato individual de trabalho com toda a precariedade que lhe está subjacente .
É um absurdo o Dr. Marques Mendes vir falar de solidariedade durante seis meses com o Governo Sócrates, numa altura em que mais se impõe a intensificação do seu combate .
Isso seria ajudar a varrer o lixo para debaixo do tapete para inglês não ver .
Face à crescente subserviência da comunicação social perante o actual Governo, mais se justifica trazer à luz da ribalta, durante a Presidência portuguesa da União Europeia, a prepotência de um Governo que confunde maioria absoluta com poder absoluto, como venho afirmando publicamente há muito tempo .
O PSD não pode entregar de mão beijada a liderança da oposição ao Dr. Paulo Portas , pelo que ou o Dr. Marques Mendes revê a sua posição e se assume como um tenaz opositor ao actual Governo ou então terá de dar lugar a quem no PSD está determinado em não dar tréguas ao Primeiro Ministro José Sócrates .
Quem se faz passar por aquilo que não é ; defende a co-incineração de resíduos perigosos em fornos de cimento contrariando a Convenção de Estocolmo que mandou subscrever ; quem manda encerrar maternidades, fazendo os portugueses ir nascer a Espanha ; fecha urgências de Centros de Saúde,pondo os Hospitais a abarrotar ; obriga as crianças a estarem afastadas dos pais um dia inteiro para poderem frequentar a Escola porque a da sua terra acabou , não merece tréguas, mas sim um combate permanente .
Este é o Governo que tira aos pobres para dar aos ricos e por isso tem de ser objecto de sistemática e férrea oposição, sob pena de assim se não fazendo estarmos a ser cúmplices de uma política desastrosa sobretudo para os mais desfavorecidos.
É para eles que o PSD tem de olhar em primeiro lugar e é por eles que , em primeira linha, temos de lutar .
Se o Dr. Marques Mendes está a pensar fazer férias pode estar seguro que há quem no PSD esteja determinado a delas prescindir, se necessário for, para continuar a combater a prepotência do actual Governo .

1 comentário:

João Carlos disse...

Caro Jorge

Muita vezes o óbvio, de tão óbvio, passa ao lado da observação de todos nós. De quase todos nós.

Por isso, este texto merece duplo aplauso. Pela lucidez e, claro está, pela coragem. De facto, o grande problema que os portugueses - Portugal - enfrentam, não é uma platónica e ilusória preservação da unidade europeia. A Europa é diversa e desigual. É, no seu todo, como é cada país na sua singularidade: socialmente injusta, economicamente desequilibrada.

Por isso, o grande problema que os portugueses enfrenta, como muito bem diz o texto, é pôr um ponto final ao consulado desse sujeito intragável que ocupa o cargo de primeiro-ministro.

Também acho que a política precisa de algo mais do que a receita «milagrosa» dos partidos. Já todos vimos que se não morremos do mal, morremos da cura que cada um deles diz ter - e ser.

Também opto pela cidadania descomprometida.

Parabéns e um abraço.

João Carlos